Conteúdo Patrocinado

Simulação de incêndio na sede do BNU prepara funcionários para situações de emergência

Simulação envolveu todos os 92 funcionários da sucursal, “desde os motoristas aos diretores” / Foto: DR

Atividade, que contou com o apoio dos Bombeiros, PNTL e Proteção Civil, serve para aprimorar os planos de segurança da instituição.

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) realizou, na passada sexta-feira, 10 de maio, uma simulação de incêndio na sede da instituição em Timor-Leste, situada na rua 25 de abril, em Díli. A dinâmica, que contou com a colaboração dos Bombeiros, Polícia Nacional de Timor-Leste e Proteção Civil, teve como objetivo preparar os funcionários para uma ação rápida, eficaz e segura em caso de situações inesperadas, reduzindo, assim, os riscos de danos humanos e materiais.

Participaram na atividade todos os 92 funcionários da sucursal, “desde os motoristas até aos diretores”, informou Ângelo Campos, chefe de segurança do BNU.

“A formação intitulada ‘medidas de autoproteção’ prevê procedimentos internos, como a evacuação de emergência, não só em caso de incêndio, mas também se houver um sismo ou um tsunami”, explicou Ângelo Campos.

Foi a terceira vez que a equipa do BNU organizou uma simulação similar. Em 2015 e 2018 ocorreram outras. 

De acordo com o gerente do BNU, Higino Belo, a atividade serviu para aprimorar os planos de segurança da instituição, identificando possíveis falhas no sistema. O banco tem uma central de deteção de incêndio. Em caso de fogo, o alarme dispara e a equipa interna da sede atua, tal como previsto na formação.

“Podem ser implementados dois cenários: a evacuação dos clientes até a um ponto de encontro seguro e, se não for possível apagar o fogo com os meios existentes no banco, a equipa contacta a Proteção Civil para que os Bombeiros e a Polícia Nacional de Timor-Leste intervenham”, realçou.

De acordo com o Diretor Nacional de Bombeiros, Paulo Maia, a simulação é essencial para que se crie uma cultura de segurança, que pode ajudar a minimizar os riscos de incêndio e garantir uma resposta eficiente em caso de emergência.

“Em relação ao BNU, caso haja um incêndio, pode ser resolvido com eficácia, porque os funcionários já tiveram formação e sabem como proceder”, observou Paulo Maia. No entanto, se necessário, os bombeiros intervêm e colaboram na evacuação e controlo do fogo.

Nesse contexto, o papel da PNTL, segundo o comandante da esquadra de Vera Cruz, Ernesto da Costa Guterres, é colaborar com os bombeiros e a Proteção Civil. “Depois, damos início à investigação para determinar a causa do incêndio e identificar os responsáveis. Se houver uma emergência, devem contactar-nos através do seguinte número: +6703311380”, afirmou.

O BNU, sucursal da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Timor-Leste, situada em Díli, é uma instituição centenária que reabriu ao público em 1999 e até ao momento nunca foi atingida por nenhum incêndio ou situação de maior gravidade.

Conteúdo patrocinado por:

Array

Comente ou sugira uma correção

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Open chat
Precisa de ajuda?
Olá 👋
Podemos ajudar?