Gasto do Governo de 26 mil dólares para receber Manny Pacquiao gera controvérsia

É a primeira vez que o ex-atleta vem a Timor-Leste/Foto: MJDAC

Cidadãos e elementos da sociedade civil consideram que o dinheiro público usado para custear a visita de dois dias do famoso ex-pugilista filipino a Timor-Leste é um exagero.

O ex-pugilista filipino Manny Pacquiao chegou a Timor-Leste esta quinta-feira (28.09), com  uma agenda programada pelo Ministério da Juventude, Desporto, Artes e Cultura (MJDAC), que inclui encontros com autoridades e representantes do boxe local. A visita, que dura até sábado (30.09) e custou 26 mil dólares americanos ao Estado, gerou uma mistura de sentimentos entre a população: por um lado, felicidade pela presença do ex-campeão mundial, ídolo de muitos; por outro, revolta, pelo valor do dinheiro público utilizado para o trazer, considerado um exagero.

Napoleão Rodrigues Vieira, 26 anos, pugilista do clube El Matador, contou que ficou contente ao saber da vinda de Manny Pacquiao, referência sua no desporto que pratica. Porém, avalia que a quantia de 26 mil dólares gasta na iniciativa não foi adequada.

“É preferível que o Governo aloque este valor para a Federação de Boxe de Timor-Leste, que está a passar por dificuldades. Com esse dinheiro, seria possível realizar pelo menos três eventos por ano e atribuir um prémio digno aos atletas timorenses, pois merecem”, afirmou.

Este ano, num campeonato da Liga Amadora de Boxe, que aconteceu no Estádio Municipal de Díli, os campeões (masculino e feminino) receberam 200 dólares e 150 dólares, respetivamente.

Napoleão Vieira disse que uma das maiores dificuldades dos atletas de pugilismo em Timor-Leste é a falta de incentivo para o desporto. “Há muita gente talentosa que não consegue mostrar o que sabe, porque quase não há eventos para isso. Muitos acabam por desistir. É frustrante”, observou.

Os pugilistas do clube EL Matador/Foto: DR

Já o ativista dos direitos humanos José Messias, 22 anos, destacou que há outras prioridades em Timor-Leste com que os governantes se devem preocupar, “como a falta de água, de recursos hospitalares e escolares e a reparação de estradas, por exemplo, as de Bebonuk e Ailok Laran”, e que, por essa razão, a situação configura “um desrespeito para os cidadãos e desperdício de dinheiro público”.

O jovem ressaltou que não é a primeira vez que o Governo “gasta recursos desnecessariamente”. “No ano passado, o VIII Governo gastou 40 mil dólares num evento de seis horas, que tinha o troféu mundial de futebol como atração, um absurdo”, lamentou.

O coordenador da Organização Não-Governamental (ONG) La’o Hamutuk, Celestino Gusmão, corroborou a opinião de José Messias. “É necessário que o Governo, primeiramente, dê atenção aos nossos problemas: a pobreza, o desemprego, a má nutrição. Não nos podemos dar ao luxo de gastar dinheiro em atividades que não têm retorno para o país”, concluiu.

O presidente da comissão organizadora do MJDA, João Rodrigues, informou que o montante destinado à vinda de Manny Pacquiao visa garantir a segurança e a estadia do ex-pugilista no país. Acrescentou que a sua vinda “é uma motivação para os atletas timorenses se esforçarem para serem como ele”.

O treinador e fundador do clube El Matador, Abílio Orlando, 34 anos, acrescentou que a quantia alocada para trazer o ex-competidor a Timor-Leste se destina também à preparação de material publicitário. Na agenda de Manny Pacquiao, é esperada uma visita ao referido clube. O treinador adiantou que irá pedir ao filipino para ser promotor do El Matador e dos pugilistas timorenses.

O ex-atleta ainda deve ir a outros clubes de boxe, como o Benfica Boxing Club, o Oriental Boxing e o Dili Boxing. Também tem encontros com o presidente da República, José Ramos-Horta, com o primeiro-ministro, Xanana Gusmão, e com representantes da Embaixada das Filipinas.

Manny Pacquiao foi pugilista profissional de 1995 a 2021, sendo o único no mundo a vencer 12 títulos mundiais em oito categorias diferentes. Muito popular no seu país, entrou para a política em 2010 e foi eleito senador em 2016. No ano passado, concorreu às eleições presidenciais, mas foi derrotado por Ferdinand “Bongbong” Romualdez Marcos Jr – o candidato apoiado pelo presidente na altura, Rodrigo Duterte.

Array

Ver os comentários para o artigo

  1. Seria interessante que se fizesse uma investigacao jornalistica sobre o que se consegue obter em TL com essa quantia $26000.
    Qantas familias timorenses se podem alimentar por ano?
    Qual o impacto na merenda escolar das criancas no ensino primario?
    Qantas enfermeiras se pode adicionar por ano? 2, 3, 4?
    Quantos cidadaes beneficiam com agua canalizada?
    O que beneficia em termos de tratamento da malaria?
    Quantos trabalhadores da apanha de lixo se pode contratar por ano?
    Quantos sapatos se podem comprar para as criancas em idade escolar?

  2. Querida Maezinha
    Avenida do Eterno Descanso, 26000
    Santa Cruz Dili 1290 Codex

    Mais uma curta missiva minha e desta vez venho-a inteirar do pugilismo, sim Mae o “desporto” onde se esmurraca o oponente .
    Em Dili neste momento esta um cidadao das Filipinas que e campeao nisso. Ao custo de $26 000, mas que pichincha!
    Em ingles Mae, “it is a very expensive “upper cut’ ou a “punch bellow the belt”, usando a terminologia do box (pugilismo)
    Mae, nunca pensei na minha vida que ir ao focinho de alguem valesse tanto dinheiro.
    Roll in the red carpet.

    Ze Pastel de Nata
    Simplesmente TIMORENSE

  3. “é uma motivação para os atletas timorenses se esforçarem para serem como ele”:

    para serem como ele? como é que eles podem ser como ele, se o Governo valoriza os atletas com apenas 200 dólares?

    Foda-se! pa.

    Foi preciso gastar 26 mil dólares só para motivar os jovens com a visita deste atleta? Os jovens podem saber dele das notícias e de outros meios. Não era necessário o convidarmos.

    Para que os jovens sejam motivados, o Governo deve invistir com seriedade nas suas atividades.

    É um absurdo. Os governantes gostam mais dos eventos com cocktails. Phuuiiiii os pobres quando estão no poder é isso. Procuram o luxo com o dinheiro dos outros, o pior é que é o do povo.

    1. Se estivesse no governo e tivesse poder de decisao faria:
      Cortava o bolo de $26000 em fatias iguais e distribuia pelos clubes de pugilismo do nosso Rai Doben. Mandava os servicos reprograficos do governo imprimir a fotografia do gala e solicitava aos clubs de pugilismo que os pendurassem na parede com o dizer por baixo da dita fotografia: Se algum de voces praticantes de pugilismo forem tao bons ou melhores e, trouxerem orgulho para a nossa Mae Patria ha muito mais donde este incentivo veio”

  4. Qual e a percentage dos praticantes do pugilismo em comparacao com o numero de habitantes de TL?
    Qual e a percentage de praticantes de pugilismo em comparacao com as outras modalidades desportivas, vide futebol, basketball, volleyball, tennis de mesa, tennis, soy kaleik, pesca desportiva, corrida de cavalos, corrida de burros, etc…?

Comente ou sugira uma correção

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Open chat
Precisa de ajuda?
Olá 👋
Podemos ajudar?